Caçula do tênis de mesa usa ouro no Parapan como “remédio” rumo ao Rio 2016

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

A catarinense Danielle Rauen, de 17 anos, foi campeã invicta em Toronto e garantiu a vaga nas Paralimpíadas. O esporte a ajuda em outra frente, ao lidar uma artrite reumatoide

Danielle Rauen, de apenas 17 anos, ganhou o ouro em Toronto pela Classe 9/10.
Fernando Maia/MPIX/CPB
Danielle Rauen, de apenas 17 anos, ganhou o ouro em Toronto pela Classe 9/10.


Caçula da seleção brasileira de tênis de mesa que compete no Parapan de Toronto, Danielle Rauen, de apenas 17 anos, conquistou neste domingo a medalha de ouro pela Classe 9/10. Com o título, assegurou sua vaga nas Paralimpíadas do Rio 2016. A conquista não só a motiva demais para o grande evento em casa, como também a empurra para seguir em frente em sua outra luta.

A catarinense foi diagnosticada aos 4 anos de idade com uma artrite reumatoide, doença incurável degenerativa que atrofia os músculos e afeta as articulações. Competindo em alto nível, porém, ela consegue desbancar os concorrentes ao mesmo tempo em que usa o esporte como um meio de tratamento.

Leia também: Ex-promessa dos gramados vira sensação no tênis de mesa

“O tênis de mesa é como um remédio para mim. Estou me mexendo todo dia. Se eu ficar parada, o problema se agrava. Sei que uma hora o meu corpo não vai aguentar mais, mas vou até onde puder. E espero que ele aguente por muito tempo", disse a mesa-tenista.

Em Toronto, Danielle ganhou o título de maneira invicta –- e também sem perder sequer um game, algo inédito. Desempenho digno da atleta que já ocupa o sétimo lugar do ranking mundial. Em jogo, ela vai colhendo os frutos de uma mudança difícil para se fazer aos 16 anos.

Em 2014, ela deixou Santa Catarina para fazer parte da seleção brasileira permanente, que tem Piracicaba, no interior de São Paulo, como base. "Minha família fez muita falta durante todo esse período em que me preparei para vir para cá. Mas estamos sempre nos falando e o apoio deles é fundamental", afirmou.

A rotina de treinos e o desenvolvimento na modalidade ao menos serviram para compensar a distância familiar. "Vou agora com tudo para 2016. De tanto que lutei para chegar aqui, tudo valeu a pena", afirmou. "Nunca imaginei que estaria em um evento tão grande como esse. Tudo aconteceu muito rápido para mim. Isso só faz com que a alegria seja maior ainda.”

Veja fotos dos brasileiros competindo pelo Parapan de Toronto:

Júlio César Oliveira eliminou o porto-riquenho Ricardo Rosario pelas oitavas do composto. Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPBDanielle Rauen, de apenas 17 anos, ganhou o ouro em Toronto pela Classe 9/10.. Foto: Fernando Maia/MPIX/CPBCátia Oliveira estreia no Parapan com ouro. Foto: Fernando Maia/MPIX/CPBCaio Amorim comemora a vitória pelos 400m livre S8.. Foto: Jonne Roriz/MPIX/CPBCaio Amorim ganha a prova dos 400m livre S8. Foto: Washington Alves/MPIX/CPBBrasil vence Porto Rico por 10 a 0 pela segunda rodada do golbol. Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBBrasileiros comemoram a vitória contra os porto-riquenhos. Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBBruno Pinheiro ganha prata pelo halterofilismo  (categoria até 59kg). Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBFrancisco Avelino nada a final dos 100m livre S8 . Foto: Washington Alves/MPIX/CPBBrasil vence Cuba por 3 sets a 0 pela primeira rodada do vôlei sentado. Foto: Washington Alves/MPIX/CPBAs parciais da vitória brasileira sobre as cubanas: 25-3, 25-9 e 25-16.. Foto: Washington Alves/MPIX/CPB


Leia tudo sobre: Toronto 2015parapantênis de mesa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas