Brasil termina o Parapan de Toronto com o melhor aproveitamento da história

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Delegação brasileira fecha a competição com 34,3% das medalhas de ouro e ultrapassa o México, que detinha a melhor marca, conquistada na primeira edição dos Jogos, em 1999

Terminadas todas disputas no Parapan de Toronto, o Brasil fechou a competição disputada no Canadá com 34,3% das medalhas de ouro (109 de um total de 317), e bateu o recorde de melhor aproveitamento de todos os tempos.

O nadador Daniel Dias foi o maior destaque brasileiro em Toronto, com oito medalhas de ouro
Washington Alves/MPIX/CPB
O nadador Daniel Dias foi o maior destaque brasileiro em Toronto, com oito medalhas de ouro

Em 2015, a delegação brasileira conseguiu superar sua melhor marcar em quantidade de medalhas de ouro, que era de 92, conseguida em 1999, quando a sede foi a Cidade do México. Porém, naquele Parapan foram disputados 363 ouros, número bem maior do que os 317 deste ano.

“Uma campanha histórica que nos deixa satisfeitos. Voltamos com a sensação de dever plenamente cumprido. E conquistamos a terceira das quatro metas que estabelecemos lá atrás. Vencemos em Guadalajara, vencemos em Toronto, ficamos em sétimo na Paralimpíada de Londres. Só falta uma, que é o quinto lugar no Rio [em 2016]”, afirmou o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons.

Aproveitamento histórico no Parapan
Reprodução
Aproveitamento histórico no Parapan

Disputado desde 1999, o torneio continental tinha como melhor rendimento até o momento a edição seguinte, em 2003 (Mar del Plata), quando o México terminou com a posse de 33,4% das medalhas de ouro (101 de um total de 302). Na primeira edição, o país da América do Norte também havia terminado na liderança do quadro de medalhas, porém, com rendimento um pouco menor: 33% (121 ouros em 363 possíveis).

No entanto, desde 2007, no Rio de Janeiro, quando o Parapan começou a ser disputado no mesmo local dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil tem a hegemonia na competição. Competindo em casa, o país terminou na liderança do quadro de medalhas, e com seu melhor aproveitamento até então: 32%, ficando no alto do pódio em 83 oportunidades, em 254 possíveis.

Leia também: Grandes nomes do esporte paralímpico do Brasil brilham em Toronto

O fator casa foi preponderante no resultado, tanto que, em 2011, a competição voltou a ser disputada no México, em Guadalajara, e, apesar de se manter na frente dos rivais, o aproveitamento do Brasil caiu para 29,2%. Foram 277 medalhas de ouro disputadas e o país ficou com 81 delas.

Entretanto, em Toronto, os brasileiros voltaram a ficar confortáveis e bateram outro recorde: o da diferença de medalhas de ouro para o segundo colocado. Foram nada menos do 59 medalhas douradas a mais do que o Canadá, segundo colocado na competição deste ano (109 a 50). A melhor marca já pertencia ao Brasil, que, em 2007, conseguiu 34 ouros a mais que o mesmo Canadá (83 a 49). E o feito vai além, a delegação brasileira conseguiu mais ouros do que Canadá e Estados Unidos (terceiro lugar, com 40) juntos em Toronto: 109 contra 90.

O maior destaque brasileiro na competição no Canadá foi o nadador Daniel Dias. Apelidado de Mister Parapan, o atleta abocanhou oito medalhas de ouro em oito provas disputadas. Sua história na competição é a melhor possível, em 27 provas disputadas até agora, venceu todas.

Neste sábado, último dia de competições, a delegação brasileira ainda beliscou mais dois ouros, no futebol de sete, vitória contra a Argentina na final, e no goalball masculino, ao bater os Estados Unidos na decisão.

Confira imagens do último dia de competições no Parapan de Toronto:

Brasil venceu a Argentina no futebol de 7 e ficou com o ouro. Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBO Brasil suou para fazer 3 a 1 na Argentina na decisão do futebol de 7 . Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBFutebol de 7 confirmou o favoritismo com ouro sobre a Argentina. Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPBTriunfo sobre os Estados unidos deu ouro ao Brasil no goalball. Foto: Fernando Maia/MPIX/CPBO Brasil terminou o Parapan com campanha invicta no goalball. Foto: Fernando Maia/MPIX/CPBEquipe brasileira de goalball no posto mais alto do pódio em Toronto. Foto: Fernando Maia/MPIX/CPBBasquete em cadeira de rodas deixou o bronze escapar e ficou fora do pódio. Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPBO basquete em cadeira de rodas terminou em quarto lugar ao cair para a Argentina na decisão do Bronze. Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPBFora do pódio, os atletas do basquete em cadeira de rodas saúdam do público no ginásio . Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB


Leia tudo sobre: Toronto 2015ParapanRecorde de aproveitamentoBrasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas